Vivemos em uma sociedade cada vez mais agitada, em que as situações de estresse se tornam cada vez mais frequentes e que, muitas vezes, traz o sentimento de angústia e tristeza diante de coisas que já foram vividas, que estão acontecendo no momento ou que ainda acontecerão.

Muitas vezes, nesses momentos de tristeza, o desânimo paira e tira a motivação e vontade de continuar, muitas vezes até mesmo dando sensações físicas. Nesse momento, algumas pessoas dizem que isso é “depressão”, mas existem algumas considerações a serem feitas antes de se chegar a esse diagnóstico.

Imagem 1 - depressao.jpg

O que é depressão?

A depressão é uma doença que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem afetado mais de trezentos milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, segundo dados recentes, aproximadamente 6% da população possui a doença.

Antes de dar continuidade, é bastante comum que as pessoas façam erradas associações sobre a doença. Por isso, é importante lembrar que a depressão não pode ser comparada a uma tristeza cotidiana que ocorre na vida do indivíduo, em que este consegue contornar a situação com facilidade e em pouco tempo, a depressão é algo contínuo, causada por alterações químicas que ocorrem no cérebro do indivíduo.

Dito isto, a depressão pode ser identificada em sintomas fisiológicos como: dores de cabeça frequentes, constipação, má digestão dos alimentos, tensão muscular contínua, fadiga, fome excessiva ou ausência de fome, que pode gerar ganho ou perda de peso. Além disso, muitas vezes uma pessoa com depressão tende também a sentir inquietação.

Uma pessoa com depressão também pode ter um ou mais sintomas psicológicos, tal como: falta de concentração as atividades, falta de motivação em dar sequência em projetos, desânimo contínuo, culpa de não conseguir realizar as atividades que antes tinha facilidade, descontentamento e tristeza. Todos esses sintomas surgem em consonância com a fragilidade emocional da pessoa que possui a doença.

É bom lembrar que existem grupos de pessoas que se tornam mais propensas de ter a doença, em especial pessoas que já possuem disfunções hormonais ou outros transtornos psicológicos. Além disso, pessoas que vivem em condições de estresse, isolamento ou que já possuem casos de depressão na família também possuem essa tendência.

Os perigos da depressão

A depressão, diferente da tristeza cotidiana, surge sem motivos aparentes. A pessoa depressiva sente tristeza profunda e tenta identificar os motivos desta por pelo menos duas semanas seguidas, muitas vezes sem conseguir entender de onde vem o sentimento de estar esmorecendo.

Ressalta-se aqui que a doença possui diferentes graus de apresentação, sendo todos catalogados no Código Internacional de Doenças (CID). Levando isso em consideração, pode-se afirmar que a depressão possui diferentes graus de apresentação, desde moderados até mais graves.

Em casos mais extremos, é comum que a doença seja associada ao suicídio, posto que as taxas de suicídio aumentaram em sincronia com o aumento de diagnósticos de pessoas com depressão.

Nesse caso, é bom ter atenção aos sinais que a pessoa apresenta, pois muitas vezes esses sinais são verdadeiros pedidos de socorro, a pessoa com depressão precisa ser ouvida e a pessoa que conversa precisa assentir os transtornos que a depressão está causando.

Como a depressão afeta a vida de uma pessoa?

De muitas formas a depressão pode afetar a vida dos indivíduos. A tristeza e fragilidade emocional os acompanham e muitas vezes traz consequências que podem agravar ainda mais o emocional da pessoa, dá a sensação de incapacidade.

Levando isso em consideração, a pessoa com depressão tem baixa na sua qualidade de vida, pois afeta o relacionamento com amigos e familiares, a saúde e em suas ocupações, como estudos e emprego.

Contudo, é preciso lembrar também que a depressão tem cura em cerca de 70% dos casos, e muitas vezes pode ser prevenida. As melhores formas de prevenir a doença vêm do cuidado do corpo e da mente.

Exercícios físicos, hobbies e atividades de lazer como viagens e leituras dão estímulos e promovem hormônios associados ao bom humor e felicidade. Além disso, uma boa alimentação é fundamental para que esses hormônios sejam produzidos e a pessoa sinta bem-estar.

Alimentos que auxiliam no combate da depressão

A alimentação, se feita de forma saudável, pode ser uma grande aliada no combate à depressão.

Imagem 2 - depressao.jpg

Alimentos que melhoram o humor são indispensáveis para aqueles que desejam combater a doença. Dentre esses alimentos, podemos citar:

  1. Folhas verdes: as verduras, sempre bem-vindas na alimentação, são também ajudam a equilibrar o metabolismo dos nossos neurotransmissores. Como consequência, o humor também sofre alterações e é controlado. Além disso, folhas como: alface, couve, espinafre e brócolis são ricas em vitaminas do complexo B.
  2. Laticínios: o cálcio presente nos laticínios ajuda no controle do estresse e ansiedade. Em consequência, eles também ajudam a regular a pressão arterial e a flora intestinal. Dentre eles, é recomendada a ingestão dos iogurtes e leite.
  3. Frutas: as frutas são recomendadas de três a cinco vezes por dia. Ricas em vitaminas, elas também possuem aminoácidos e algumas delas possuem grande quantidade de potássio e magnésio. Dentre as frutas mais recomendadas na melhora do humor, destaca-se o mamão, a manga, o abacate, a maçã e a banana.
  4. Carnes magras: o consumo de carnes magras ajuda a regular o sono, dá sensação de saciedade e de bem-estar. Podem ser ingeridas em porções moderadas no almoço ou no jantar.
  5. Oleaginosas: nozes, amêndoas e principalmente a castanha-do-pará são ricas em selênio, que é um grande antioxidante. Além disso, elas reduzem o estresse e sensação de ansiedade.

Para finalizar, é ideal as pessoas sempre aliem alimentação e exercício físico, pois eles se complementam no combate não só da depressão, mas de várias outras doenças. O bom funcionamento do corpo provém disso, então é importante sempre se atentar a esses detalhes.

Nossos artigos podem te auxiliar não somente na batalha contra a depressão, mas sim em muitos outros tópicos que podem atrapalhar seu dia a dia. Continue acompanhando nosso trabalho e descubra como aliar sua felicidade à sua saúde.

(Visited 55 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *