Segundo estudos da Organização Mundial da Saúde, nos 10 últimos anos a incidência da diabetes tipo 1 aumentou em 61,8% no mundo. Esta taxa elevada está diretamente relacionada ao estilo de vida sedentário e alimentação pobre em nutrientes.

No Brasil a doença pode ser considerada um caso grave de saúde pública, o país ocupa o 4º lugar no ranking mundial e possui cerca de 16 milhões de pessoas sofrendo com os efeitos desta doença.

O que é diabetes?

A diabetes é uma doença crônica não transmissível causada pela deficiência do organismo em absorver a insulina, que é o hormônio produzido no pâncreas responsável por transformar a glicose em energia no corpo.

Existem basicamente quatro tipos de diabetes, que são:

  • DIABETES TIPO 1

Presente em cerca de 5 a 10% de todos os diabéticos no país, a diabetes tipo 1 é uma doença predominantemente hereditária cujos sintomas se apresentam na maioria dos casos em crianças e adolescentes.

  • DIABETES TIPO 2

Este tipo de diabetes está diretamente relacionado à sobrepeso, sedentarismo e alimentação inadequada. É o tipo mais popular no Brasil, representando cerca de 90% do total de diabéticos no país.

  • LADA

A diabetes Latente Autoimune do Adulto, popularmente conhecida como LADA representa o agravamento da diabetes tipo 2 e é caracterizada por desenvolver um processo autoimune no organismo que faz com que o sistema imunológico ataque as células do pâncreas.

  • DIABETES GESTACIONAL

Ocorre durante o período da gravidez em que as taxas de açúcar no sangue ficam elevadas, mas não suficiente para se caracterizar como diabetes tipo 2. Este tipo de diabetes traz riscos de complicações durante toda a gravidez até o parto e faz com que as chances de desenvolvimento de diabetes tanto na mãe quanto no bebê aumentem.

Quais as características do diabetes tipo 1?

diabetes tipo 1 é uma doença que faz com que o sistema imunológico do paciente passe a atacar as células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina, desta forma o corpo passa a produzir insulina insuficiente para a manutenção das funções do organismo.

Com o passar do tempo o diabetes tipo 1 pode evoluir e passar a apresentar complicações neuropáticas, micro e macrovasculares, afetando todo o metabolismo, caso não seja tratada corretamente pode representar um alto risco de morte.

O diagnóstico é bem fácil e rápido, um simples exame de sangue aponta se existem alterações nas taxas glicêmicas do organismo, sendo um teste de aproximadamente 3 minutos. Caso seja apontada uma alteração anormal neste teste inicial, o médico responsável deve solicitar os exames clínicos laboratoriais completos para comprovação do diagnóstico.

O que causa o diabetes tipo 1?

A principal causa do diabetes tipo 1 é genética, sendo transmitida hereditariamente, sendo assim é extremamente importante que sejam realizados exames em caso de ocorrência da doença na família. A predisposição genética pode ser desencadeada em conjunto com diversos fatores de risco, entre eles:

  • Hábitos alimentares não saudáveis
  • Pressão alta
  • Sobrepeso
  • Doenças renais graves
  • Síndrome de ovários policísticos
  • Colesterol elevado
  • Depressão
  • Diabetes gestacional

Quais os sintomas do diabetes tipo 1?

Os principais sintomas da diabetes tipo 1 são: vontade de urinar várias vezes durante o dia, fome e sede frequente, perca de peso, sensação de fraqueza, fadiga, oscilação de humor, náuseas e vômito.

Diferentemente da diabetes tipo 2, os sintomas da diabetes tipo 1 se desenvolvem de forma rápida. Caso o diagnóstico seja tardio, existe o risco de as células que produzem a glicose do organismo não sejam capazes de produzir a quantidade de energia necessária, o que faz com que o corpo passe a dissolver gordura e músculo para suprir essa necessidade.

Esse processo é denominado cetoacidose diabética química, que apresenta sintomas específicos como: pele avermelhada e seca, falta de apetite, vômitos e dor na região do abdômen, hálito cetônico (odor frutado e forte na respiração), respiração acelerada e irregular, agitação, sonolência, confusão e em casos mais graves o coma.

Como evitar o diabetes tipo 1?

As principais formas de evitar a diabetes tipo 1 é manter uma alimentação saudável e praticar atividades físicas regularmente. Mas também é possível prevenir a doença reduzindo o consumo de sal, açúcar e gorduras, parando de fumar e mantendo o peso controlado.

Seguindo estas medidas as chances de desenvolver diabetes tipo 1 são reduzidas drasticamente, porém, como já citado acima, é extremamente importante realizar exames periódicos em casos de incidência da doença na família.

.

Quais os melhores tratamentos para o diabetes tipo 1?

Não existe cura para a diabetes tipo 1, e seu tratamento tem como objetivo manter a doença controlada para evitar complicações, os principais meios para tratar esta doença são:

  • ATIVIDADES FÍSICAS

Extremamente importante no controle dos níveis de açúcar do sangue e controle do peso, praticar atividades físicas regularmente. Caso o paciente já possua os níveis glicêmicos reduzidos, não é recomendado ingressar em atividades físicas por ser extremamente arriscado. Portanto antes de iniciar qualquer atividade é extremamente importante consultar um médico.

  • DIETA BALANCEADA

Pessoas diabéticas devem evitar sempre consumir alimentos com muito açúcar, como os doces, e evitar também alimentos com muitos carboidratos simples, como pães, a dieta de quem tem diabetes tipo um deve ser constituída de 50 a 60% das calorias totais ingeridas por carboidratos, dando preferência aos complexos, como castanhas, nozes e grãos integrais, que serão absorvidos mais lentamente pelo organismo.

  • CONTROLE DA GLICEMIA

O autoexame dos níveis de glicemia é extremamente importante para o portador de diabetes tipo 1, verificar o nível de glicose no sangue ajuda a controlar a doença. Esse exame é feito com um equipamento chamado glicosímetro, o procedimento é simples, basta fazer um pequeno furo no dedo com a agulha do aparelho e colocar esta gota de sangue em uma tira com reagentes, feito isso se coloca essa tira no aparelho e dentro de aproximadamente 45 segundos ele aponta exatamente qual é o nível glicêmico do paciente.

  • INSULINA

Pacientes com diabetes tipo 1 devem aplicar insulina regularmente para suprir a deficiência de produção do organismo. Geralmente as injeções são aplicadas na barriga, na frente e lateral externa da coxa, na parte posterior do terço superior do braço, na região da cintura e na parte superior e lateral das nádegas.

O diagnóstico precoce pode aumentar drasticamente a eficácia do tratamento, portanto, caso apresente algum sintoma procure um médico.

(Visited 28 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *